segunda-feira, 4 de junho de 2018

Trabalho livre de Luana Resende, 12.ºE

 Rohingya

PROJETO LIVRE


Luana Resende, Rohingya, acrílico e colagem s/tela, 50x40cm

No âmbito da disciplina de Desenho A, neste 3º período, o meu projeto livre é o retrato de uma mulher de etnia rohingya a segurar o seu filho bebé.
A ideia para este trabalho surgiu-me quando vi, no site da Teen Vogue, uma publicação chamada “I Gave Birth in a Refugee Camp”, escrita por Brittney McNamara, onde, após uma explicação sobre quem eram estas pessoas e a vida que têm nestes campos de refugiados, surgiam várias fotografias de jovens mulheres, com idades entre os 17 e os 27 anos, com os filhos recentemente nascidos ao colo. Foram imagens que me comoveram muito, pois as condições que tinham para criar estas crianças eram poucas e sendo mulheres ainda tão jovens tinham um ar cansado e envelhecido, de certo consequência de tudo o que passaram. Depois de ver esta publicação quis procurar mais informações sobre este grupo de pessoas, porque a autora dizia que esta era a minoria mais oprimida e perseguida no mundo e, no entanto, eu nunca tinha visto nada sobre isto nas notícias nem era um tema que se falasse sequer. Durante a pesquisa encontrei muitas imagens que me deixaram chocada e foi no site da emissora de televisão Al Jazeera, a mais importante do mundo árabe, que encontrei toda a informação que procurava e ainda um documentário sobre o mesmo assunto que me comoveu bastante. Ao aperceber-me do silêncio que se faz em torno deste assunto fiquei um pouco revoltada porque a todas estas pessoas faltam os direitos humanos mais básicos e pouca cobertura há sobre este problema, tal como parece pouco o esforço que se faz para mudar a situação. Assim sendo, decidi usar a arte como elemento difusor desta catástrofe, já que tantas vezes esta é de caráter político e, mesmo não tendo uma voz alta que chegue a milhões de pessoas quis pelo menos informar os meus amigos, familiares e as pessoas mais próximas em geral.
Também as cores usadas nas peças de roupa têm um significado, o verde, o amarelo e o magenta avermelhado representam a bandeira de Myanmar, o país onde esta etnia vive e de onde se vê obrigada a sair devido à constante opressão.
Para este trabalho utilizei como suporte uma tela de 40x50cm e como técnica tinta acrílica. Colei também no fundo excertos de um artigo do site mencionado em cima (Al Jazeera) com cola branca e para dar um aspeto de jornal pintei por cima a acrílico diluído em muita água.
Este, dentro de todos os projetos que fiz ao longo do secundário, foi o trabalho que mais me abriu os olhos e que me fez aperceber de que para mim, para além de agradável, a arte também tem um poder político muito importante e que então quis tirar partido disso. Ao longo de todo o processo senti sempre uma sensação agridoce: se por um lado sentia-me bem e com prazer de poder “ajudar” desta forma, já que ainda não tenho possibilidades de doar dinheiro ou até ir aos campos de refugiados e dar apoio direto às pessoas, por outro sentia-me indignada, perplexa e revoltada porque é vergonhoso que algo com esta dimensão esteja a acontecer nos dias de hoje. Sinto, por isso, que este é um dos meus trabalhos mais importantes.
Luana Resende

Estudo inicial

Trabalho em progressão

Trabalho em progressão

Trabalho concluído

Sem comentários:

Publicar um comentário