sexta-feira, 24 de março de 2017

Trabalho livre de Adriano Moreira



Adriano Moreira, Punição
lápis de cor s/ papel 58x40cm


"Numa guerra ninguém deixa de ser um demónio. Podemos aplicar esta frase à nossa vida, porque a nossa vida é uma guerra, mas perante a nossa nascença somos seres puros sem maldades e sem emoções impuras. No entanto, à medida que passamos à nossa "guerra", um demónio cresce dentro de nós fazendo-nos deixar de ser o que nascemos: os seres puros e claros."
Adriano Moreira, Memória descritiva

Sem comentários:

Publicar um comentário