quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

Poesia Visual - 11.ºE


Isso é o que corresponde ao verdadeiro amor: deixar uma pessoa ser o que ela realmente é.

Jim Morrison

Beatriz Pereira




Lá no morro

De amor o sangue corre

moça chorando

Que o verdadeiro amor sempre é o que morre

Chico Buarque

Sara Costa




De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.

Vinicius de Moraes

Joana Madureira





O tempo é muito lento para os que esperam

Muito rápido para os que têm medo

Muito longo para os que lamentam

Muito curto para os que festejam

Mas, para os que amam, o tempo é eterno.

Henry Van Dyke

Joana Alves





AMO-TE


Amo-te quanto em largo, alto e profundo

Minh'alma alcança quando, transportada,

sente, alongando os olhos deste mundo,

os fins do ser, a graça entresonhada.


Amo-te a cada dia, hora e segundo

A luz do sol, na noite sossegada

e é tão pura a paixão de que me inundo

Quanto o pudor dos que não pedem nada.


Amo-te com a dor, das velhas penas

com sorrisos, com lágrimas de prece,

e a fé de minha infância, ingênua e forte.


Amo-te até nas coisas mais pequenas,

por toda vida, e assim DEUS o quiser

Ainda mais te amarei depois da morte.

Elizabeth Barrett Browning

Érica Lopes




Há quem diga que todas as noites são de sonhos. Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância. O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado.

William Shakespeare



Sofia Miranda




Duvida da luz dos astros,

De que o sol tenha calor,

Duvida até da verdade,

Mas confia em meu amor.

William Shakespeare





Livros e flores


Teus olhos são meus livros.

Que livro há aí melhor,

Em que melhor se leia

A página do amor?


Flores me são teus lábios.

Onde há mais bela flor,

Em que melhor se beba

O bálsamo do amor?

Machado de Assis

Sílvia Silva




Li um dia, não sei onde


Li um dia, não sei onde,

Que em todos os namorados

Uns amam muito, e os outros

Contentam-se em ser amados.


Fico a cismar pensativa

Neste mistério encantado...

Diga prá mim: de nós dois

Quem ama e quem é amado?...

Florbela Espanca

Daniela Dias



Memória


Amar o perdido

deixa confundido

este coração.


Nada pode o olvido

contra o sem sentido

apelo do Não.


As coisas tangíveis

tornam-se insensíveis

à palma da mão


Mas as coisas findas

muito mais que lindas,

essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade


Cátia Matos

Sem comentários:

Publicar um comentário